segunda-feira, 2 de maio de 2011

Bará: Princípio de Movimento e o Mensageiro dos Orixás!



É o gerador do que existe, do que existiu e do que ainda vai existir.
 O nome “Bará” significa: aquele que é possuidor do poder. 
Também chamado de Exú Bará, pois “Exú” significa esfera, 
aquilo que é infinito, que não tem começo nem fim.

 Dia da semana: 
Segunda-feira.

Saudação: 
“Alúpo” ou “Lálupo” – Tradução: Venha, ó falante!

Cor: 
Vermelho.

Parte do corpo que rege: 
Esqueleto, pênis, pâncreas, uretra, urina e rege também o sangue.

Ferramentas: 
Chave, foice, corrente e punhal.

Sobrenomes de Orixá: 
Lodê, Lanã, Tiriri, Adague, Burucú, Baluaê, Agelú,Toquí, 
Demí, Alupanda, Bí, Leba, Abanadá, Bô e Tolabí.

Dividem-se basicamente em dois tipos:  

Barás de dentro de casa
Bará Agelú, Lanã, Adague, etc., considerados mais calmos.

Barás da rua
Bará Lodê, considerado violento e por isso muito respeitado. 
É o guardião do templo, portanto deve-se cumprimentá-lo 
por primeiro ao entrar no terreiro. 
Seu assentamento e seus pertences ficam guardados 
à parte numa casinha entrada do Ilê. 
Acompanham o Bará Lodê: Ogum Avagã e Oyá Timboá,
igualmente denominados Orixás de rua.


SOBRE ESTE ORIXÁ

Um de seus símbolos marcantes é a chave pois é o que permite
a passagem e o início de tudo e é responsável pelos caminhos.

 As questões mais imediatas relacionadas a dinheiro e trabalho, 
é a ele que pedimos abertura.

Faz a interligação entre “Orún” (mundo material)
e “Aiyê” (mundo espiritual). Pedimos a ele que leve 
aos demais Orixás nossos pedidos e agradecimentos, afinal, 
não teremos êxito sem antes pedirmos e ofertarmos algo a ele. 
Bará é quem deve receber as oferendas em primeiro lugar
a fim de assegurar que tudo corra bem.

Outra característica marcante de Bará é ser o detentor 
e o transmissor da fertilidade e da fecundação. 
Este Orixá cuida da parte sexual dos seres vivos e de seus órgãos 
de reprodução. Seu outro símbolo é o "Opá Ogó", a forma fálica (pênis). 
Longe de ser obsceno, pois a presença de Bará 
se faz necessária na geração de uma vida. 

É o mais humano dos orixás, por exemplo: adora agrados e oferendas, 
detesta água e chuva, nos dias chuvosos é inútil lhe entregar oferendas na rua. 
Nestes dias é melhor deixá-los guardadas no Quarto-de-Santo até que a chuva cesse.

Ele está presente nos lugares onde existem multidões, gargalhadas, risos fartos e nas alegrias incontidas. É o desprendimento do nervosismo contido no peito, a rapidez do deslocamento.

Por ser provocador, astucioso e sensual é comumente confundido com a figura de diabo, o que é um absurdo dentro da construção teológica Yorubá, visto que não está em oposição a Deus, muito menos é considerado uma personificação do mal. 
Mesmo porque nesta religião não existe diabo.

“Capaz de carregar o óleo que comprou no mercado 
numa simples peneira sem que este óleo se derrame”. 

E assim é Bará, o Orixá que faz o acerto virar erro e o erro virar acerto.
Além disso, ele é muito irreverente, adorando resolver e propor enigmas. Caminha no tempo e espaço com tranquilidade, buscando coisas no passado, presente e futuro. Se ele não é tratado de maneira correta, ele confunde e zomba de quem o maltrata. Mas quando
é reverenciado, ajuda, abre caminhos e soluciona. 

  Mostrarei isto através de um trecho de um filme chamado Besouro.
Vale à pena assistir! Clique no vídeo e confira!

 


LENDAS

Segundo a mitologia, ele adora inverter a ordem estabelecida, como, 
por exemplo, a mulher trabalhar fora de casa e o homem gerar 
as crianças e cuidar de todas as atividades do lar. 
Isso serve para incentivar mudanças e desenvolvimento.

Esta lenda é mostrada em um trecho da Série Mãe de Santo.
Clique no vídeo e confira!


  As diferenças físicas que existem entre todos os seres, 
principalmente os humanos, é um atributo de Bará, 
caso contrário, seríamos exatamente iguais.


 O ARQUÉTIPO DOS FILHOS DE BARÁ

Os filhos de Bará possuem uma personalidade muito marcante, 
ora são pessoas inteligentes e compreensivas com os problemas dos outros, ora são bravas, intrigantes e ficam muito contrariadas. 
Por isso para ter-se um amigo ou filho de Bará é preciso que se tenha muito jeito e compreensão ao tratar-se com ele. 

São pessoas altamente fiéis aos seus princípios, aos amigos 
e às suas causas. São corajosos e dedicados. Amáveis, não medem esforços nem sacrifícios para auxiliar as pessoas que ama. 
Excelentes amantes, a virilidade é uma característica básica
daqueles regidos por este orixá.

Características Positivas: 
Sempre chegam ao seu objetivo, mesmo que para isto tenham que se empenhar de corpo e alma. Fortes, capazes, românticos, felizes, participativos, francos, inquietos, sinceros, espertos e atentos.

Características Negativas: 
Severos e exigentes ao extremo, caprichosos, extremamente vaidosos 
e ambiciosos. Brigões, debochados e brincalhões.


O HOMEM DE BARÁ

O Orixá do sexo, da procriação e da fertilidade, faz de seus filhos homens com enorme poder de sedução. Afinal, cabe a ele o papel 
de dar continuidade à espécie. Mas justamente por ser extremamente sensual e também por ser versátil, será capaz de agir dessa forma com várias pessoas ao mesmo tempo. O mais interessante de tudo é que ele dificilmente se afasta definitivamente das mulheres com quem manteve vínculos amorosos e sexuais. Por esta razão, não é difícil reconquistá-lo, principalmente se ele se deu bem sexualmente com essa parceira interessada em tê-lo de volta.


A MULHER DE BARÁ

Assim como o homem de Bará, a mulher é dotada de muita sensualidade. Mas esta é uma característica que ela não deixa transparecer com facilidade. Pelo contrário, tentará escondê-la atrás de uma imagem bastante reservada. Poderá ser mais transparente em relação ao sexo, 
se sentir segurança com seu companheiro. E segurança emocional 
para uma filha de Bará significa encontrar um homem 
que desenvolva com ela uma grande cumplicidade. 
Aí sim ela se soltará e se mostrará como realmente é: 
extremamente sensual.

 
REZAS

Para finalizar, colocarei algumas rezas (adúras) e traduções. 
Será muito bom dançar para Bará sabendo a tradução destas rezas.


Bará Lodê

Axé: Exú ô Lodê.
Resposta: Exú Exú ô Bará lanã.

 Tradução: 
Bará, o do lado de fora. Bará, o que no dá as coisas no caminho.


Bará Agelú

Axé: Exú lanã fô míô, exú lanã fô malé ô.
Resposta: Exú lanã fô míô, Exú lanã fô malé ô.

Tradução:
Bará dos caminhos, filho da dona das águas,  
Bará dos caminhos, vigia a noite para você.

Explicação:
 Bará, assim como Ogum, é filho de Iemanjá com o Orixá Odùduwà. 
Odùduwà, Orixá da Criação, ancestral dos reis Yorubás coroados. 
Ogum era muito ligado ao irmão mais velho. Os dois eram muito aventureiros e brincalhões. Quando Bará foi expulso de casa pelos pais, Ogum ficou muito zangado e resolveu acompanhá-lo. 
Foi atrás dele e por muito tempo correram o mundo juntos. 
Bará, o mais esperto, resolvia para onde iriam e Ogum, o mais forte e guerreiro, ia vencendo todas as dificuldades do caminho. 
Por este motivo, Ogum sempre surge no culto logo depois de Bará, 
pois honrar seu irmão é a melhor forma de agradá-lo. 
Enquanto Bará é o dono dos caminhos e encruzilhadas, 
Ogum governa a reta dos caminhos.


BARÁ LANÃ

Axé: Egbá rà bô alaroiê a exú lanã, ba rà bô alaroiê a exú lanã, 
e mó dé ko ê ko de bará bô, bará bô, bará eléfa exú lanã.
Resposta: Egbá rà bô alaroiê a exu lanã, ba rà bô alaroiê a exu lanã, 
e mó dé ko ê ko de bará bo, bará bô, bará eléfa Exú lanã.

Tradução:
Tenho fé em ti Bará e peço licença para louvá-lo em minha casa; 
Nossa casa está limpa, proteja a nossa terra. Seu poder limpa o caminho.
Bará Lanã = Bará Lonã. Lonã = caminho.

 
BARÁ LANÃ

Axé: Exú bará lo bè bè tiriri lanã, exú tiriri, 
bará lo bè bè tiriri lanã, exú tiriri.
Resposta: Bará exú tiriri lanã, exú tiriri lanã, 
bará ke bará Exú bará, Exú tiriri lanã.

Tradução:
Minha fé me alimenta, peço para o Precioso Bará dos Caminhos, Precioso Bará dos Caminhos, esse é o Exú que nos dá coisas no caminho.
Tiriri = valoroso/precioso
Bará Lanã = BARÁ LONÃ = lonã = caminho.

Cito outro trecho da Série Mãe de Santo onde 
mostra Bará dançando esta reza. 
Clique no vídeo e confira!

 


Certamente nosso Pai Bará gostou da idéia 
do Blog Orixá Sol pois é o Orixá da Comunicação.

Foram mais de 350 visitas no blog desde segunda-feira passada!  

Confesso que fiquei muito surpresa com esta rapidez. 
Mas ao mesmo tempo muito feliz com os comentários na postagem 
inicial e os seguidores que estão prestigiando o blog.

Também, estou aqui para agradecer ao Lelê de Oxum pelas 
novas contribuições nas saudações dos Orixás Odé, Iemanjá e Oxalá!

Espero que tanto os filhos de Bará, quanto as pessoas que amam 
esta religião tenham aprendido, assim como eu, 
um pouco mais sobre este grande Orixá! 

Alúpo!

Ju de Xangô Agodô.

13 comentários:

  1. Concerteza o nosso Pai Bará esta muito feliz com este trabalho lindo e maravilhoso,assim como eu estou hoje por ficar sabendo um pouco mais da história do meu Pai Bará e graças a esse seu trabalho e dedicação e seu empenho em buscar a realidade dos fatos,obrigado por dividir todo esse seu conhecimento conosco nunca é tarde para aprender um pouco mais.È muito bom poder mostrar para as pessoas que a nossa religião tem muita cultura e muita coisa linda e que a gente esta ali não para fazer o mal e sim para fazer o bem e ajudar o próximo.E para mostrar a verdadeira História desses grandes guerreiros que são os Orixás!!!!!Obrigado JU por esse blog e por dividir todo o seu conhecimento,a gente sente todo o amor e toda a dedicação que ele foi feito,fiquei muito feliz e emocionada hoje com essa postagem !!!!!! ALÚPO!!!!EVELYN DE BARÁ AGELÚ

    ResponderExcluir
  2. esta lindo mesmo seu blog e educativo adorei comsertesa nosso Pai Bará esta muito felis com o seu blog consertesa mesmo o nosso Pai Bará esta sempre a sua frente Juliana lhe abrindo seus caminhos

    ResponderExcluir
  3. EveLYN!!!

    Sabia que tu iria adorar =)
    Continuarei as pesquisas certamente!

    Celso!

    Obrigada!! Certamente o Bará está me apoiando
    a continuar o Blog hihi.

    Afinal, como diz o texto, tudo começa por ele.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  4. Motumbá, obrigado pelo carinho em ter mencionado meu nome. Adorei isso faz bem para o nosso ego. Mas como bom africanista que sou, quero apenas cumprir o meu papel em ajudar assim como vc Ju a difundir nossa religião! Que muito criticada, mas pouco conhecida. Religião essa onde realmente entramos em contato com nossos Deuses, podemos abraçar e receber o seu carinho, seu axé!
    Olorum Okofé!!

    ResponderExcluir
  5. Adorei a postagem sobre o Bará, afinal de contas estamos de baixo da bandeira dele! Grande Pai!
    Parabéns Ju, vc tem se superado a cada dia e me orgulho muito disso! A sua dedicação aos Orixás te torna uma pessoa humilde e, ao mesmo tempo, radiante! Bjs.

    ResponderExcluir
  6. Ai Mãe!!!
    Mesmo sendo suspeita em falar..
    sei que é de coração! Um beijo.

    ResponderExcluir
  7. Olá, adorei o blog! parabens!
    sou diego de oxala e gostaria de saber da onde vc tira as informações das traduções do iorubá. abraço.

    ResponderExcluir
  8. ju eu sou do odé podemos se conheçer ???

    ResponderExcluir
  9. Olá Diego!

    Obrigada!

    As traduções obtenho com pesquisas em livros antigos e com um contato Nigeriano.

    Didi, torne-se seguidor, assim sempre receberá as novidades do blog!

    Um abraço

    ResponderExcluir
  10. Oi, é maravilhoso ler , e ter mais um conhecimento sobre o Orixá Bara, e a Fé e o respeito que tenho por ele, me faz agradeçer a sua iniciativa de criar este blog, tão rico, quero que minha Mãe Oxum, esteja sempre ao seu lado, grande Axé!!! Ines de Oxum

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  12. gostei dessa publicação de bárás amei saber mais sobre meu pai bará

    ResponderExcluir